Flexibilidade e alongamento

Flexibilidade na Avaliação Física

 

Flexibilidade é uma capacidade física que pode ser relacionada à saúde e ao desempenho desportivo e descreve a Amplitude de Movimento que uma articulação pode realizar.

Em 1998, a recomendação do Colégio Americano de Medicina Esportiva dizia que, um programa ótimo de atividade física deve incluir não somente exercícios cardiovasculares e de resistência muscular, mas também exercícios de alongamento.

“SE QUEREMOS MELHORAR AS CAPACIDADES, TEMOS QUE TREINÁ-LA”.

Em relação aos desportos os principais estudos na área têm demonstrado a importância da flexibilidade para o desempenho das outras capacidades físicas, cooperando para um menor gasto energético quando há uma amplitude de movimento adequada do atleta.

A flexibilidade pode se manifestar de maneira ativa ou passiva.

Ativa: A maior amplitude de movimento possível, que o indivíduo pode realizar devido à contração da musculatura agonista.

Passiva: A maior amplitude de movimento possível que o indivíduo pode alcançar sob ação de forças externas.

A reserva da flexibilidade é a diferença entre a flexibilidade passiva e a ativa, Ela explica a possibilidade de melhora da flexibilidade ativa através do fortalecimento da musculatura agonista e pela maior capacidade de alongamento dos antagonistas.

Fatores Endógenos:

  1. a) Idade
  2. b) Sexo
  3. c) Estado do condicionamento físico
  4. d) Individualidade biológica

As principais articulações corporais são relacionadas morfológica e funcionalmente às cápsulas articulares, aos tendões, ligamentos, músculos, à gordura subcutânea, ossos e a pele.

  1. e) Respiração
  2. f) Concentração

Fatores Exógenos:

  1. a) Hora do dia
  2. b) Temperatura ambiente
  3. c) Exercício